terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Vai lá Zé !

Um rapaz maranhense vai para os Estados Unidos para cursar a Universidade, mas já na metade do 1° semestre acaba o dinheiro que o pai lhe deu.
 Aí ele tem uma ideia brilhante. Telefona ao pai e sai com esta:
 – Pai, você não pode acreditar nas maravilhas da moderna educação neste país.
 Pois não é que aqui eles tem um curso para ensinar os cachorros a falar?
 O pai, um sujeito simplório, fica maravilhado:
 – E como é que eu faço para que aceitem o Rex aqui de casa?
 – É só mandar ele para cá com U$5.000 que eu faço a matrícula.
 E o pai, é claro, cai na conversa, e segue a orientação do filho.
 Passados mais alguns meses, o rapaz torra a grana e liga outra vez:
 – E daí, meu filho? Como vai o Rex?
 – Fala pelos cotovelos, pai. Mas agora abriram outro curso aqui, para os cachorros aprenderem a ler.
 – Não brinque! E podemos matricular o Rex?
 – Claro! Mande-me U$ 10.000 e deixe comigo!
 E o velho, mais uma vez, manda o dinheiro.
 O tempo vai passando, o final do ano vai chegando, e o rapaz se dá conta que vai ter que explicar.
 O cachorro, é claro, não fala uma palavra, não lê porra nenhuma, enfim, continua como sempre.
 Sem nenhuma consideração, solta o pobre bicho na rua e pega o avião de volta para casa.
 A primeira pergunta do pai não podia ser outra:
 – Onde está o Rex? Comprei uma revista sobre animais em inglês, para que ele leia para mim.
 – Pai, você não imagina… Já tinha tudo pronto para a viagem de volta, quando vi o Rex no sofá, lendo o New York Times,como fazia todas as manhãs. E aí ele me saiu com esta:
 – Então, vamos para casa… Como será que está o seu velho? Será que ainda continua comendo aquela viúva que mora na casa da frente?
 E o pai, mais do que rapidamente:
 – Mas que cachorro lazarento… espero que você tenha um sumiço nesse sacana, antes que ele venha fazer fofoca para tua mãe!
 – Mas é claro, pai. Foi o que eu fiz!
 – É assim que se procede, filho! …
 Dizem que o rapaz se formou com louvor, e tornou-se um político de renome no Maranhão, chamado José.

Nenhum comentário: