sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Vera Ficher

Faltavam poucos dias para o casamento de Adolfo.
 A mãe da moça, uma quarentona escultural, estilo Vera Ficher, lhe disse, no sofá da sala:
 Adolfo, quero que você saiba que eu sempre te achei um homem atraente e… bem… estou sem graça de falar…
 Pode falar, dona Sônia! Fique à vontade!
 Bom, Adolfo, antes que você casasse, eu gostaria de fazer sexo com você!
 Adolfo fica boquiaberto e ela prossegue:
 Eu vou lá pro quarto! Se você quiser ir embora, já sabe onde é a porta… Se quiser me ter é só ir lá pro quarto… Estarei te esperando… gostoso!
 Adolfo espera a sogra ir para o quarto, pensa por meio segundo e decide o caminho que vai tomar.
 Corre para a porta e encontra, apoiado no seu carro, o seu sogro, marido da dona Sônia, sorridente.
 Parabéns, Adolfo! disse ele Queríamos saber se você era um homem fiel, honesto e leal e você passou pelo teste!
 Então a sogra saiu da casa e também o cumprimentou.
 Moral da história: É bem melhor carregar as camisinhas no carro do que no bolso

O último pedido

Dois homens condenados à cadeira elétrica foram levados para a mesma antessala no dia da execução.O padre lhes deu a extrema-unção.
 O carrasco, voltando-se ao primeiro homem, perguntou:
 – Você tem um último pedido?
 – Tenho. Como eu adoro forró, axé e arrocha, gostaria de ouvir o CD do Calcinha Preta, Saia Rodada, Calypso, Mulheres Perdidas, Cavaleiros do Forró, Moleca 100 Vergonha, Banda Faraós, Aviões do Forró, e pela última vez antes de morrer, o CD do Robério e seus teclados,Chiclete com Banana, Asa de Águia, Frank Aguiar e pra encerrar, o Belo e todas músicas sertanejas.
 – Ok, tudo bem. Seu pedido será realizado.
 O carrasco virou para o segundo condenado e perguntou:
 – E você, qual seu último pedido?
 – Posso morrer primeiro?

Fabinho

Quando Fabinho era pequeno, queria ser bailarino e seus pais o desencorajaram porque era coisa de viado.
 Quis ser jogador do Sao Paulo, mas seus pais não deixaram porque era coisa de viado.
 Logo depois, quis ser cabeleireiro, mas seus pais não deixaram porque era coisa de viado.
 Passado algum tempo quis ser estilista, mas seus pais não permitiram porque era coisa de viado.
 Encontrou com Ronaldo gordo e quis tirar uma foto com ele, mas seus pais não deixaram porque era coisa de viado.
 Agora Fabinho cresceu, é viado e não sabe fazer porra nenhuma…

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Uma Mulher de Peso


O Veleiro


Touro Bravo

Um oficial da Polícia Federal vai a uma fazenda, em Formiga, MG, e diz ao dono, um velho fazendeiro:
 – Preciso inspecionar sua fazenda por suspeita de plantação ilegal de maconha!
 O fazendeiro diz:
 – Sim senhor, mas não vá naquele campo ali – e aponta para uma certa área.
 O oficial, puto da vida e cheio de arrogância, diz indignado:
 – O senhor sabe que tenho o poder do governo federal comigo?
 E tira do bolso um crachá mostrando ao fazendeiro:
 – Este crachá me dá a autoridade de ir onde quero, e entrar em qualquer propriedade. Não preciso pedir ou responder a nenhuma pergunta. Está claro? Me fiz entender?
 O fazendeiro todo educado pede desculpas e volta para o que estava fazendo.
 Poucos minutos depois o fazendeiro ouve uma gritaria e vê o oficial do governo federal correndo para salvar sua própria vida perseguido pelo “Santa Gertrudes”, o maior touro da fazenda.
 A cada passo o touro vai chegando mais perto do oficial, que parece que será chifrado antes de conseguir alcançar um lugar seguro.
 O oficial está apavorado.
 O fazendeiro, mineirinho muito educado e solícito, larga suas ferramentas, corre para a cerca e grita com todas as forças de seus pulmões:
 – Seu crachá! Mostra o seu CRACHÁ pra ele!


terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Transformação Sexual


O peixe-palhaço, natural do Pacífico, vive em grupos onde existe uma fêmea grande, vários machos pequenos inférteis e um macho grande reprodutor. Se a fêmea morre, ou por qualquer motivo não existe no grupo, o macho reprodutor muda de sexo, se tranforma em fêmea, e o maior peixe entre os machos pequenos se torna fértil e reprodutor. O processo se chama protoginia.

Vai lá Zé !

Um rapaz maranhense vai para os Estados Unidos para cursar a Universidade, mas já na metade do 1° semestre acaba o dinheiro que o pai lhe deu.
 Aí ele tem uma ideia brilhante. Telefona ao pai e sai com esta:
 – Pai, você não pode acreditar nas maravilhas da moderna educação neste país.
 Pois não é que aqui eles tem um curso para ensinar os cachorros a falar?
 O pai, um sujeito simplório, fica maravilhado:
 – E como é que eu faço para que aceitem o Rex aqui de casa?
 – É só mandar ele para cá com U$5.000 que eu faço a matrícula.
 E o pai, é claro, cai na conversa, e segue a orientação do filho.
 Passados mais alguns meses, o rapaz torra a grana e liga outra vez:
 – E daí, meu filho? Como vai o Rex?
 – Fala pelos cotovelos, pai. Mas agora abriram outro curso aqui, para os cachorros aprenderem a ler.
 – Não brinque! E podemos matricular o Rex?
 – Claro! Mande-me U$ 10.000 e deixe comigo!
 E o velho, mais uma vez, manda o dinheiro.
 O tempo vai passando, o final do ano vai chegando, e o rapaz se dá conta que vai ter que explicar.
 O cachorro, é claro, não fala uma palavra, não lê porra nenhuma, enfim, continua como sempre.
 Sem nenhuma consideração, solta o pobre bicho na rua e pega o avião de volta para casa.
 A primeira pergunta do pai não podia ser outra:
 – Onde está o Rex? Comprei uma revista sobre animais em inglês, para que ele leia para mim.
 – Pai, você não imagina… Já tinha tudo pronto para a viagem de volta, quando vi o Rex no sofá, lendo o New York Times,como fazia todas as manhãs. E aí ele me saiu com esta:
 – Então, vamos para casa… Como será que está o seu velho? Será que ainda continua comendo aquela viúva que mora na casa da frente?
 E o pai, mais do que rapidamente:
 – Mas que cachorro lazarento… espero que você tenha um sumiço nesse sacana, antes que ele venha fazer fofoca para tua mãe!
 – Mas é claro, pai. Foi o que eu fiz!
 – É assim que se procede, filho! …
 Dizem que o rapaz se formou com louvor, e tornou-se um político de renome no Maranhão, chamado José.