quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Minerin, afim de um “gay”.

Minerin chegou na zona e falou prô gerente:

– Hoje tô afim de um “gay”. Tem um “bão” aí?

– Aqui não temos “gays”, só mulheres, respondeu o gerente.

– Não? uai, hoje eu queria memo era um “gay” prá variá, um “trem” diferente… pago mil real.
 O gerente, ganancioso, chegou prô “leão de chácara” da “zona”, que era um “negão” de 2 metros de altura, faixa-preta de karatê, judô, jiu-jitsu, tae-kendo, boxe, briga de rua, “vale- tudo”, capoeira, “pancadaria” e assalto à “mão armada” e falou:
 – Vamos tomar o dinheiro desse “mineirinho” otário. Vou dizer que você é “viado”, você entra no quarto com ele, pega o dinheiro, arranja um motivo prá confusão, dá um “pau nele” e depois “rachamos” a “grana”.
 O “minerin” entrou no quarto com o negão, trancou a porta e logo começou a “pandacaria”. De fora só se ouvia barulho de cama quebrando, espelho rachando, batidas na porta, na parede, no teto…
 Passaram-se 40 minutos nessa “peleja”, todo mundo na expectativa do lado de fora, quando a porta se abriu e saiu o “minerin”, “arrumano as carça” e comentando:
 – Brabin ele, né? Quiria dá não…

Nenhum comentário: