quinta-feira, 18 de julho de 2013

Morrendo de Sede

Estava o viajante morrendo de sede, perdido no meio da caatinga, debaixo de um sol escaldante, quando se deparou com uma casinha de taipa.

Imediatamente bateu palmas e logo apareceu um garotinho barrigudo de olhos remelentos.

— Você poderia me arranjar alguma coisa para beber? — pediu o viajante.

— Poderia sim, senhor!

Então, o menino desaparece para dentro da casa e logo volta com uma cuia imunda que entrega ao viajante.

O viajante olha meio enojado para a cuia, fecha os olhos e bebe tudo num gole só.

— Tava muito ruim? — pergunta o menino.

— Tava não, por quê?

— É que tinha um rato morto dentro da cuia.

— Seu filho da puta! — esbravejou o viajante, furioso. — Na hora que eu te pegar, quebro a cuia na sua cabeça!

— Faz isso não, moço, que essa cuia é da mãe mijar!

Nenhum comentário: