segunda-feira, 6 de maio de 2013

Funeral

Um agricultor tinha uma esposa que lhe incomodava sem piedade.
 De manhã à noite, ela estava sempre reclamando de alguma coisa.
 O único momento de alívio era quando ele estava arando com sua mula velha.
 Ele arava muito.

Um dia, quando ele estava arando, sua esposa trouxe-lhe um almoço no campo.
 Ele levou a velha mula para a sombra, sentou-se em um toco, e começou a comer o seu almoço.
 Imediatamente, sua esposa começou a importuná-lo novamente.
 Reclamar, reclamar, criticar, não parava.
 De repente, a velha mula deu um coice na mulher acertando-a na nuca.
 Resultado: morte instantânea

No outro dia, no funeral, o padre notou algo bastante estranho.
 Quando uma mulher enlutada aproximava-se do velho fazendeiro, ele ouvia uns minutos, em seguida, acenava com a cabeça concordando,
 mas quando um homem se aproximava dele enlutado, ele ouvia por uns minutos, em seguida, balançava a cabeça negativamente.
 Isto ocorreu diversas vezes até que o padre decidiu perguntar ao velho fazendeiro sobre isso.

Assim, após o funeral, o padre perguntou ao velho fazendeiro:
 - Por que você acenou com a cabeça e concordou com as mulheres, mas sempre negou com a cabeça e discordou de todos os homens.

O velho fazendeiro disse, ‘Bem, as mulheres vinha e diziam algo de bom sobre minha esposa , ou como seu vestido era bonito, então eu acenava com a cabeça de acordo.”

- E os homens? – perguntou o padre…
 - Eles queriam saber se a mula estava à venda.

Nenhum comentário: