sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Sítio Baluarte

Um fazendeiro ia indo a pé para sua fazenda lá pros cafundó de Gisdifora, MG. No caminho, comprou um balde, um galão de tinta, dois frangos e um ganso, todos os animais vivos.

Quando saiu da loja, parou e ficou matutando sobre como levar as compras para casa. Enquanto coçava a cabeça, apareceu uma mulher que lhe perguntou como chegar até o Sítio Baluarte.

- Bem, diz o fazendeiro, minha fazenda fica perto desse sítio. Eu podia te levá até lá, mas ainda não resolvi como vou carregá isto tudo aqui.

A mulher sugeriu:

- Cê coloca o galão de tinta dentro do barde, carrega o barde numa mão, o ganso na outra mão e um frango debaixo de cada braço.

- Muito obrigado! – disse o homem – É uma boa idéia.

A seguir, partiram os dois pela estrada.

No caminho, ele disse:

- Vamo cortá caminho e pegá este ataio pelo mato, que vamo economizá muito tempo.

A mulher o olhou cautelosamente e disse:

- Eu tô sozinha e não tenho como me defendê. Como vou sabê se quando a gente entrá no mato ocê não vai avançá em cima de mim e levantá minha saia e abusá de mim?

- Eu tô carregano um barde, um galão de tinta, dois frango e um ganso. Como eu ia fazê isso concê com tanta coisa nas mão? Se eu sortá o ganso e os frango, eles foge tudo!

- Muito simples, uai: cê coloca o ganso no chão, pôe o barde invirtido em cima dele, coloca o galão de tinta prá pesá em cima do barde e os dois frango eu seguro!

Nenhum comentário: