sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A Concha

João convidou sua mãe para o jantar. Durante a refeição, sua mãe não pôde deixar de notar o quanto a empregada era atraente e sensual. Após o jantar, ela começou a imaginar se havia mais alguma coisa entre seu filho e a empregada. Lendo os pensamentos da mãe, João disse:

— Eu sei o que você deve estar pensando mãe, mas te asseguro que meu relacionamento com a empregada é duramente profissional.

Uma semana depois, a empregada disse para o João:

— Desde que sua mãe veio para jantar, a concha de sopa de prata sumiu.

— Você não acha que ela levou, acha?

João disse:

— Bem, eu duvido, mas mesmo assim vou escrever um e-mail para ela, só para ter certeza.

Então ele sentou-se e escreveu:

— Querida mamãe, eu não estou querendo dizer que você pegou a concha de sopa da minha casa, e não estou querendo dizer que você não pegou a concha de sopa. Mas o fato é que ela sumiu desde o dia que você esteve aqui para o jantar.

No dia seguinte, João recebeu a resposta do e-mail onde sua mãe dizia:

— Querido filho, eu não estou querendo dizer que você dorme com a empregada, e não estou querendo dizer que você não dorme com a empregada, mas, o fato é que, se ela estivesse dormindo na própria cama dela, já teria achado a concha de sopa que eu coloquei lá. Com amor, sua mãe.

Nenhum comentário: