segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A Família

Um rabino, ainda jovem, falece tragicamente num acidente. Como ele vivia em uma comunidade pequena, todos se conhecem e, depois de algum tempo, acabam aconselhando a viúva a que volte a se casar… Na comunidade (kibutz) havia somente um candidato disponível e era um mecânico, simpático, mas com pouca instrução.
Embora relutasse no início, pois era habituada a viver com uma pessoa erudita, a viúva finalmente aceita.
Após o casamento, na sexta-feira, véspera de Shabat, após o banho ritual no mikve, o mecânico diz à sua nova esposa:
- Minha mãe sempre falou que era uma boa ação praticar sexo antes de ir para a sinagoga.
Foi dito e feito.
Voltando da igreja, ele informa:
- Segundo meu pai, é uma santa obrigação fazer sexo antes de acender as velas de Shabat.
Foi dito e feito, de novo.
Pouco antes de irem dormir, o mecânico volta ao assunto:
- Meu avô sempre disse que é costume fazer sexo no Shabat.
Resultado: foi dito e feito, mais uma vez.
Amanhecendo, ele diz:
- Minha tia Sarah, muito religiosa, me disse certa vez que um bom judeu não começa a manhã de Shabat sem ter sexo.
A viúva, já no domingo, sai para fazer compras.
No mercado encontra com várias amigas, que perguntam:
- E aí? Que tal é o novo marido?
- Bom - responde ela - não é tão instruído como o anterior, mas vem de uma família maaaaaraaaaaaaaviiiilhooooooooosaaaaa…

Nenhum comentário: