sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Vera Ficher

Faltavam poucos dias para o casamento de Adolfo.
 A mãe da moça, uma quarentona escultural, estilo Vera Ficher, lhe disse, no sofá da sala:
 Adolfo, quero que você saiba que eu sempre te achei um homem atraente e… bem… estou sem graça de falar…
 Pode falar, dona Sônia! Fique à vontade!
 Bom, Adolfo, antes que você casasse, eu gostaria de fazer sexo com você!
 Adolfo fica boquiaberto e ela prossegue:
 Eu vou lá pro quarto! Se você quiser ir embora, já sabe onde é a porta… Se quiser me ter é só ir lá pro quarto… Estarei te esperando… gostoso!
 Adolfo espera a sogra ir para o quarto, pensa por meio segundo e decide o caminho que vai tomar.
 Corre para a porta e encontra, apoiado no seu carro, o seu sogro, marido da dona Sônia, sorridente.
 Parabéns, Adolfo! disse ele Queríamos saber se você era um homem fiel, honesto e leal e você passou pelo teste!
 Então a sogra saiu da casa e também o cumprimentou.
 Moral da história: É bem melhor carregar as camisinhas no carro do que no bolso

O último pedido

Dois homens condenados à cadeira elétrica foram levados para a mesma antessala no dia da execução.O padre lhes deu a extrema-unção.
 O carrasco, voltando-se ao primeiro homem, perguntou:
 – Você tem um último pedido?
 – Tenho. Como eu adoro forró, axé e arrocha, gostaria de ouvir o CD do Calcinha Preta, Saia Rodada, Calypso, Mulheres Perdidas, Cavaleiros do Forró, Moleca 100 Vergonha, Banda Faraós, Aviões do Forró, e pela última vez antes de morrer, o CD do Robério e seus teclados,Chiclete com Banana, Asa de Águia, Frank Aguiar e pra encerrar, o Belo e todas músicas sertanejas.
 – Ok, tudo bem. Seu pedido será realizado.
 O carrasco virou para o segundo condenado e perguntou:
 – E você, qual seu último pedido?
 – Posso morrer primeiro?

Fabinho

Quando Fabinho era pequeno, queria ser bailarino e seus pais o desencorajaram porque era coisa de viado.
 Quis ser jogador do Sao Paulo, mas seus pais não deixaram porque era coisa de viado.
 Logo depois, quis ser cabeleireiro, mas seus pais não deixaram porque era coisa de viado.
 Passado algum tempo quis ser estilista, mas seus pais não permitiram porque era coisa de viado.
 Encontrou com Ronaldo gordo e quis tirar uma foto com ele, mas seus pais não deixaram porque era coisa de viado.
 Agora Fabinho cresceu, é viado e não sabe fazer porra nenhuma…

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Uma Mulher de Peso


O Veleiro


Touro Bravo

Um oficial da Polícia Federal vai a uma fazenda, em Formiga, MG, e diz ao dono, um velho fazendeiro:
 – Preciso inspecionar sua fazenda por suspeita de plantação ilegal de maconha!
 O fazendeiro diz:
 – Sim senhor, mas não vá naquele campo ali – e aponta para uma certa área.
 O oficial, puto da vida e cheio de arrogância, diz indignado:
 – O senhor sabe que tenho o poder do governo federal comigo?
 E tira do bolso um crachá mostrando ao fazendeiro:
 – Este crachá me dá a autoridade de ir onde quero, e entrar em qualquer propriedade. Não preciso pedir ou responder a nenhuma pergunta. Está claro? Me fiz entender?
 O fazendeiro todo educado pede desculpas e volta para o que estava fazendo.
 Poucos minutos depois o fazendeiro ouve uma gritaria e vê o oficial do governo federal correndo para salvar sua própria vida perseguido pelo “Santa Gertrudes”, o maior touro da fazenda.
 A cada passo o touro vai chegando mais perto do oficial, que parece que será chifrado antes de conseguir alcançar um lugar seguro.
 O oficial está apavorado.
 O fazendeiro, mineirinho muito educado e solícito, larga suas ferramentas, corre para a cerca e grita com todas as forças de seus pulmões:
 – Seu crachá! Mostra o seu CRACHÁ pra ele!