quarta-feira, 22 de abril de 2015

Adoro Bolo de Chocolate



a doença de chagas

A loira estava doente e foi ao médico. Ele diagnosticou:
 – Você está com a doença de chagas. É grave e vou lhe prescrever um tratamento.
 – E como foi que eu peguei essa doença?
 – Foi numa picada de barbeiro.
 – Barbeiro? O sr. tem certeza?
 – Tenho. Ele é o único transmissor.
 – Aquele pilantra safado! Ele me disse que era engenheiro.

Farmacêutico de BH

Belo Horizonte, tarde da noite, cumpadi Tarugo com uma gripe danada, garganta doendo, resolve ir à farmácia do seu Juvenal.
 Sabia que a farmácia já estava fechada, mas conhecia o farmacêutico, que morava em cima da farmácia. Bastava chamá-lo.
 Tarugo toca a campainha e a mulher do farmacêutico atende na janela.
 Com sua voz rouca, ele pergunta baixinho, quase sem poder falar:
 – Dona Dodó, seu marido está?
 Reponde ela, quase sussurrrando:
 – Não… pode subir!

Ela tá grávida

Num ônibus superlotado, uma mulher volta-se para um passageiro inconveniente:
 – O senhor quer fazer o favor de desencostar essa coisa volumosa que está a me incomodar?!
 – Calma, minha senhora. Não é o que esta a pensar. Este volume é o dinheiro do vencimento que recebi hoje. Enrolei num pacote e pus no bolso esquerdo das calças.
 – Ah! Então o senhor deve ser um funcionário exemplar!
 – Por que?
 – É que desde o embarque até aqui, o senhor já teve três aumentos salariais…
***
 O chefe de departamento de pessoal da empresa justificando para o jovem solteiro porque não vai contratá-lo.
 – Desculpe, mas nossa empresa só trabalha com homens casados.
 – Por quê? Por acaso são mais inteligentes e competentes que os solteiros?
 – Não, mas estão mais acostumados a obedecer.
***
 Com menos de um mês de casada, a filha única chega à casa da mãe, toda roxa:
 – Oh! Mamãe, o Zecão me bateu!
 – O Zecão? Mas eu pensei que ele estivesse viajando!
 – Eu também, mamãe! Eu também!
***
 Durante o jantar, a patricinha anuncia para toda a família.
 – Mamãe… papai… estou grávida!
 – Como?! – pergunta o pai, embasbacado.
 – Estou grávida!
 – E quem é o pai? – pergunta a mãe, atônita.
 – Eu sei lá! Vocês nunca me deixaram namorar firme!
***
 No velório, o viúvo recebe o abraço dos amigos:
 – Meus pêsames. Ela vinha sofrendo há muito tempo?
 – Sim. Desde que nos casamos.
***
 A moça entra na delegacia e anuncia:
 – Acabo de ser violentada por um débil mental.
 – Como tem certeza que era mesmo um débil mental? – pergunta o delegado.
 – Certeza absoluta. Tive que explicar tudo para ele.
***
 A velhinha entra no quartel e vai direto para o escritório dos oficiais:
 – Capitão, eu vim visitar o meu neto, Sérgio Ricardo. Ele serve no seu regimento, não é?
 – Serve, sim, mas hoje pediu licença para ir ao enterro da senhora.

Cumpadis

Cumpadi Tarugo foi pescar com um amigo.
 Quando se encontram, o amigo pergunta:
 – Então cumpadi, por que está levando esses dois embornais?
 – Ah, é que estou levando uma bebidinha para nós, responde o cumpadi.
 – Mas nós não combinamos que não íamos beber?
 – Foi. Mas é só uma precaução. Dá que a gente seja picado por uma cobra… vamos precisar de alcóol para a gente se reanimar, argumenta o cumpadi.
 – Tá certo então. E o que tem no outro embornal?
 – A cobra, uai! Dá que lá não tem…

Marido rico, mulher pobre

Um rico fazendeiro casou-se com uma mulher muito pobre. Deu-lhe casa, carro e emprego para os familiares da esposa. Todos ficaram felizes e muito bem de vida.
 Um certo dia, a mulher procurou seus familiares e disse:
 – Não aguento mais meu marido, vou me separar dele!
 O pai imediatamente indagou:
 – Mas minha filha! Ele é um bom homem, te ama, te respeita, não anda com outras mulheres, você mesmo disse que ele é um homem perfeito… Por que isto logo agora?
 E a filha respondeu:
 – É que não aguento mais. Meu marido só quer fazer sexo anal. Não posso me abaixar para pegar nada que lá vem ele e créu. Quando me casei, minha “rosquinha” parecia uma moeda de um centavo, agora parece uma moeda de um Real.
 O pai concluiu:
 – Ora, minha filha, pelo amor de Deus… Não me diga que você vai arrumar essa encrenca toda por causa de noventa e nove centavos, né?

Golf

Moisés, Jesus e um velhinho jogavam golfe.
 Moisés colocou a bola no pino e deu a primeira tacada; a bola caiu num lago.
 Moisés chegou à beira do lago e, levantando o taco, as águas se abriram. Ele entrou, deu a segunda tacada e a bola foi diretamente para o buraco.
 Na vez de Jesus jogar, a bola também foi parar no lago, mas caiu sobre a folha de uma vitória-régia. Então, Jesus caminhou sobre as águas, foi até a planta e deu a segunda tacada, mandando a bola para o buraco.
 Aí, foi a vez do velhinho.
 Ele, todo trêmulo, preparou-se para dar a tacada inicial. A bola voou para fora do clube e começou a cair na direção de um riacho. Nesse instante, um sapo a engoliu. Pouco depois, uma cobra engoliu o sapo e foi agarrada por um gavião; a ave apertou demais a cobra que regurgitou o sapo ao sobrevoar o campo de golfe; ao cair, o sapo bateu com o peito no chão e cuspiu a bola diretamente para o buraco.
 Ao acompanhar toda aquela cena, Moisés olha para Jesus e diz:
 – Cara, é muito chato jogar golfe com o seu Pai!